Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/3129
Title: Epífitas vasculares nas unidades de conservação federais de proteção integral do estado do Rio de Janeiro: riqueza, composição e conhecimento acumulado
Authors: Diniz, Rosiane Garcia
metadata.dc.contributor.advisor: Nunes-Freitas, André Felippe
metadata.dc.contributor.members: Nunes-Freitas, André Felippe
Dias, Aline dos Santos
Gonçalves, Kelly Cristina da Silva
Keywords: Status de conservação
Endemismo
Mata Atlântica
Biodiversidade
Banco de dados
Issue Date: 18-Nov-2016
Abstract: As epífitas da Mata Atlântica, em especial do Estado do Rio de Janeiro, apresentam elevada biodiversidade e importância para a manutenção de outras espécies e serviços ambientais, contudo ainda são pouco conhecidas, principalmente em termos ecológicos, mesmo em unidades de conservação. Nunca foi elaborada uma lista de epífitas vasculares para as Unidades de Conservação (UC) do Estado, dificultando a compreensão de padrões de diversidade desse grupo. Assim, o presente estudo volta-se para as UCs do Estado do RJ, buscando consolidar informações sobre a ocorrência de epífitas vasculares, avaliando o atual estado do conhecimento desse grupo ecológico e compreender as lacunas de conhecimento. Analisou-se as UCs federais de proteção integral com coletas botânicas (N = 7). Utilizou-se as 21 famílias botânicas com maior representação florística de epífitas na Mata Atlântica. Foi elaborada uma lista de espécies através do Catálogo de Plantas Vasculares e Briófitas da Flora do Estado do RJ. Para cada espécie consultou-se o status de conservação, hábito e forma de vida, através da Lista de Espécies da Flora do Brasil (REFLORA) e do Livro Vermelho (LV) da Flora do Brasil. Realizou-se a análise para as espécies de hábito epifítico (holoepífitas, hemiepífitas, epífitas facultativa). Também foi aplicado o Índice de similaridade de Jaccard (J) entre as UCs. Levantou-se 1.392 espécies, as quais 735 (52,80%) epífitas. Quanto à representatividade das epífitas, o Parque Nacional da Serra dos Órgãos (PARNASO) apresentou 764 espécies registradas, das quais 57,20% são epífitas. As famílias botânicas com maior número de registros foram, respectivamente, Orchidaceae (N =513; 41,17%) e Bromeliaceae (N = 201; 16,13%). Em relação às espécies ameaçadas, 31 espécies (4,4%) encontram-se classificadas como ameaçadas no Livro Vermelho, enquanto a REFLORA classificou 82 (11,7%) espécies como ameaçadas. As UCs que abrigam os maiores números de espécies ameaçadas, tanto para a lista da REFLORA quanto para o LV são Parque Nacional do Itatiaia(PARNAI) (REFLORA= 36sp; LV= 20sp) e PARNASO (REFLORA= 32sp; LV= 12), estas espécies encontram-se distribuídas em diferentes categorias de ameaça. Aplicando-se o Índice de Jaccard entre as UCs estudadas, a maior similaridade florística foi encontrada entre PARNASO e PARNAI (32,71%). Portanto, estado do Rio de Janeiro possui alta riqueza de epífitas vasculares. O registro de espécies ameaçadas nas UCs evidencia a efetividade destas na conservação da diversidade biológica. No entanto, os dados também indicam que é necessário um aumento no esforço de coleta e/ou desenvolvimento de pesquisas e programas específicos de levantamento da flora nas demais UCs do estado, especialmente nas outras fitofisionomias.
URI: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/3129
Appears in Collections:TCC - Engenharia Florestal (Seropédica)

Se for cadastrado no RIMA, poderá receber informações por email.
Se ainda não tem uma conta, cadastre-se aqui!

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Monografia Rosiane.pdf1,73 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.