Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2994
Title: Caracterização anatômica do lenho de reação em Hevea Brasiliensis (Willd. ex A. Juss.) Müll. Arg. provenientes de um plantio comercial
Authors: Martins, Letícia Souza
metadata.dc.contributor.advisor: Latorraca, João Vicente de Figueiredo
metadata.dc.contributor.members: Latorraca, João Vicente de Figueiredo
Carmo, Jair Figueiredo do
Ramos, Letícia Maria Alves
Keywords: Lenho de reação
Seringueira
Anatomia da madeira
Issue Date: 11-Jun-2015
Abstract: O presente trabalho teve como objetivo comparar a anatomia da madeira do lenho de reação e do lenho oposto, como também a quantificação e proporção de elementos anatômicos em duas diferentes alturas do fuste de Hevea brasiliensis (Willd. ex A. Juss.) Müll. Arg (seringueira). Os discos foram retirados da base do fuste de 3 árvores, de um plantio localizado em Tabapoã, São Paulo- BR. A área possui 9,93 ha, com espaçamento entre árvores de 7x2. Os indivíduos possuiam 53 anos de idade, apresentavam DAP entre 45 e 50 cm. Amostras de madeira de lenho de reação e lenho oposto, foram coletados da base da árvore e transformados em pequenos blocos (sub-amostras). Foram cortadas secções finas com um micrótomo de deslize e coradas com safranina a (1%) + azul de astra(1%) para detectar a presença de fibras gelatinosas. A proporção dos elementos anatômicos; variação radial dos diâmetros tangenciais de poros no lenho de reação e no lenho oposto; diâmetros tangenciais e radiais nas regiões com abundância de fibras gelatinosas comparado com as regiões onde havia predominância de fibras não-gelatinosas, independente da altura do fuste; determinação da área da seção transversal dos vasos nestas regiões e comprimento de fibras foram analisadas. Com o auxílio do microscópio de luz polarizada foi medido o ângulo microfibrilar. Não houve diferença significativa na proporção dos elementos anatômicos analisados, tanto no lenho oposto, quanto no lenho de reação, como também não houve diferença entre as médias do ângulo microfibrilar. Foi observado também que as fibras gelatinosas ocorreram mais no lenho oposto, as mesmas em tamanho maior no lenho de reação e o crescimento ocorreu no sentido medula-casca. Os diâmetros tangenciais dos poros do lenho oposto são menores que o do lenho de reação, possuindo diferença significativa entre as médias. Os vasos do lenho de reação também foram menores estatisticamente que a do lenho oposto, possuindo significância estatística.
URI: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2994
Appears in Collections:TCC - Engenharia Florestal (Seropédica)

Se for cadastrado no RIMA, poderá receber informações por email.
Se ainda não tem uma conta, cadastre-se aqui!

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Letícia Souza Martins.pdf900,93 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.