Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2988
Title: Variação radial das propriedades físicas e mecânicas da madeira de mogno africano (Khaya ivorensis A. Chev.)
Authors: Siqueira, Gisele Lustoza de
metadata.dc.contributor.advisor: Nascimento, Alexandre Miguel do
metadata.dc.contributor.members: Nascimento, Alexandre Miguel do
Souza, Natália Dias de
Brito, Edvá Oliveira
Keywords: Densidade aparente
Módulo de elasticidade dinâmico
Módulo de elasticidade estático
Módulo de elasticidade
Pigmentação
Grã
Issue Date: 19-Jun-2015
Abstract: O objetivo deste trabalho foi estudar a variação radial das propriedades físicas e mecânicas da madeira de Mogno africano (Khaya ivorensis A. Chev), utilizando três árvores com 30 anos, plantadas de forma isolada no campus da Embrapa Agrobiologia e UFRRJ, município de Seropédica, RJ. Foram aproveitados três pranchões de madeira, pertencentes às três árvores, de onde foram retiradas entre 25 a 27 amostras de diferentes posições da madeira no sentido medula-casca. Foram utilizadas 134 lâminas de orientação parcialmente radial, com dimensões de 5 mm x 37mm x 180 mm em espessura, largura e comprimento, respectivamente, que foram climatizadas em ambiente com temperatura controlada de 20°C e umidade relativa do ar com 65%. As propriedades avaliadas foram: densidade aparente, ângulo de inclinação da grã, módulo de elasticidade estático, módulo de elasticidade dinâmico, resistência à flexão, cor e nível de empeno. Os procedimentos foram realizados segundo a norma ABNT: NBR7190/97. Observaram-se valores médios para densidade aparente de 0,76 g.cm-3, sendo a madeira moderadamente pesada. A densidade aparente aumentou à medida que as amostras se aproximavam da casca, alcançando valores máximos próximo a 20,0 cm de distância da medula, decrescendo na região de transição cerne-alburno. A inclinação da grã e o empeno também aumentam à medida que as amostras se aproximam da região de transição cerne-alburno. As variáveis de cor L* (luminosidade) e b* (pigmento amarelo), saturação e ângulo de tinta obtiveram correlação inversa com a distância radial observando respectivamente o escurecimento da madeira no sentido medula-casca, bem como a diminuição da pigmentação amarela nesse mesmo sentido, passando pela região de transição cerne-alburno quando a madeira volta a clarear e ganhar mais pigmentação amarela. Das propriedades a que melhor se correlacionou com a variação radial da madeira foi à velocidade de ondas acústicas, que diminui com o aumento do diâmetro da tora. Ficou indicado também que o aumento da pigmentação vermelha (a*) aumenta a resistência na flexão.
URI: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2988
Appears in Collections:TCC - Engenharia Florestal (Seropédica)

Se for cadastrado no RIMA, poderá receber informações por email.
Se ainda não tem uma conta, cadastre-se aqui!

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA_GISELE_LUSTOZA_2008035156.pdf924,89 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.