Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2981
Title: Estrutura e composição florística de duas comunidades lenhosas em Cerrado stricto sensu ralo e Cerrado stricto sensu típico no oeste da Bahia
Authors: Andrade, Fernando Canto de
metadata.dc.contributor.advisor: Francelino, Márcio Rocha
metadata.dc.contributor.members: Francelino, Márcio Rocha
Fernadez, Alexandra Pires
Nunes-Freitas, André Felippe
Keywords: Florística
Cerrado
Savanas
Diversidade
Issue Date: 26-Nov-2014
Abstract: Este trabalho teve como objetivo caracterizar e comparar a florística e estrutura da vegetação lenhosa de duas fitofisionomias savânicas do bioma Cerrado, classificadas como cerrado stricto sensu ralo e típico. A área de estudo fica no município de Jaborandi, oeste baiano, pertencendo à região hidrográfica do médio São Francisco sobre a Formação Urucuia. Para cada fitofisionomia, foi delimitado um universo amostral de dois hectares, onde foram instaladas 20 parcelas de 1.000 m2 (20m x 50m) para identificação a nível de espécie de todos os indivíduos que com diâmetro acima do solo (DAS30cm) maior que 5 cm. No cerrado ralo foram amostrados 1.111 indivíduos distribuídos em 34 espécies, 30 gêneros e 23 famílias, alcançando uma densidade de 556 ind. ha-1 e a área basal de 3,45 m2 ha-1. No cerrado típico foram amostrados 1.903 indivíduos lenhosos, distribuídos em 57 espécies pertencentes a 41 gêneros e 23 famílias, totalizando densidade de 952 ind. ha-1 e área basal de 7,85 m2 ha-1. As famílias mais representativas no estudo foram Fabaceae, com o maior número de espécies, seguida de Myrtaceae e Vochysiaceae. As comunidades apresentaram alta dominância, com mais de 50% dos indivíduos representados por apenas quatro espécies, enquanto grande parte da riqueza é composta de espécies consideradas pouco comuns ou raras. Em termos estruturais, os descritores fitossociógicos evidenciaram comunidades equilibradas, com grande parte dos indivíduos apresentando pequeno porte e concentrados nas menores classes de diâmetro. As fitofisionomias não apresentaram diferenças significativas quanto à estrutura diamétrica pelo teste de Komolgorov- Sminorv (p<0.05). A diversidade local foi estimada em 1,97 nats. ind-1 no cerrado ralo e em 2,90 nats. ind-1 no típico. A similaridade entre as fitofisionomias foi baixa quando comparadas pelo índice qualitativo de Sorensen (0,36) e pelo índice quantitativo de Bray-Curtis (0,51). A diferença entre estes valores denota maior similaridade na composição florística e menor em termos de equabilidade. Os dados gerados permitem inferir que as duas comunidades são florística e estruturalmente distintas, apresentando valores condizentes aos esperados para o subtipo ralo e típico.
URI: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2981
Appears in Collections:TCC - Engenharia Florestal (Seropédica)

Se for cadastrado no RIMA, poderá receber informações por email.
Se ainda não tem uma conta, cadastre-se aqui!

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Monografia FERNANDO CANTO.pdf1,36 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.