Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2976
Title: Estudo da população de bactérias diazotróficas em plantas de capim-elefante cultivadas no estado do Rio de Janeiro
Authors: Emídio, Liliandra Barreto
metadata.dc.contributor.advisor: Baldani, Vera Lúcia Divan
metadata.dc.contributor.members: Baldani, Vera Lúcia Divan
Goi, Silvia Regina
Alves, Gabriela Cavalcanti
Keywords: Fixação biológica de nitrogênio
Pennisetum purpureum
Diversidade bacteriana
Variação temporal
Issue Date: 7-Nov-2014
Abstract: A produção de material energético alternativo renovável representa hoje um dos grandes desafios para a pesquisa no Brasil e no mundo. O capim-elefante (Pennisetum purpureum Schum.) está entre as gramíneas de maior capacidade de produção de matéria seca, com características qualitativas favoráveis para a produção de energia. O objetivo do presente trabalho foi avaliar a população de bactérias diazotróficas associada à cultura de capim elefante, com e sem inoculação. Para tal, foi utilizado o genótipo Cameroon, cinco estirpes de bactérias diazotróficas (G. Diazotrophicus, Azospirilum brasilense, Enterobacter cloacae, G. Sacchari, Azospirillum brasilense), previamente isoladas e identificadas, utilizadas como inoculante, dois tratamentos nitrogenados (25 e 50 kg N ha-1) e uma testemunha absoluta. As amostras de parte aérea e raiz foram coletadas aos 30, 60, 90 e 120 dias após o plantio (DAP) em um ciclo de cultivo no período seco e outro no período chuvoso, e processado no laboratório. A população de bactérias diazotróficas foi quantificada pelo método de número mais provável (NMP) utilizando os meios JNFb, NFb, LGI, LGI-P e JMV semi-sólidos livres de N. A presença de bactérias diazotróficas colonizando as amostras vegetais foi evidenciada pela formação de película característica formada após 5 dias de incubação a 30ºC, nos meios semi-sólidos utilizados. A população de bactérias diazotróficas variou de 10² a 107 células por grama de tecido fresco. Em todas as coletas, a maior população foi observada na raiz. De maneira geral, aos 60 DAP do primeiro ciclo, o número e a diversidade de bactérias diminuiu, chegando a níveis não-detectáveis em alguns meios de cultivo. Aos 90 e 120 DAP do primeiro ciclo, início do florescimento das plantas, a população e a diversidade das bactérias diazotróficas aumentou nas raízes nos diferentes tratamentos. Durante o desenvolvimento da cultura no ciclo chuvoso houve um aumento da população em relação ao primeiro ciclo e o maior número de bactérias se deu nos tecidos radiculares. Neste processo foram obtidos 180 isolados bacterianos que estão armazenados para análises fisiológicas e identificação genéticas futuras.
URI: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2976
Appears in Collections:TCC - Engenharia Florestal (Seropédica)

Se for cadastrado no RIMA, poderá receber informações por email.
Se ainda não tem uma conta, cadastre-se aqui!

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Liliandra Barreto.pdf1,2 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.