Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2878
Title: Estrutura e composição florística do estrato arbóreo em um trecho de floresta ombrófila densa submontana no Parque Nacional da Serra Dos Órgãos, Guapimirim, RJ
Authors: Fonseca, Raphael Nascimento da
metadata.dc.contributor.advisor: Nunes-Freitas, André Felippe
metadata.dc.contributor.members: Nunes-Freitas, André Felippe
Fernadez, Alexandra Pires
Dias, Aline dos Santos
Keywords: Floresta sub-montana
Estrato arbóreo
Diversidade biológica
Guapimirim
Estrutura da floresta
PARNASO
Issue Date: 7-Jul-2009
Abstract: O presente estudo apresentou os resultados da estrutura e composição florística do estrato arbóreo de dois trechos de Floresta Atlântica de Encosta localizada no Vale do Garrafão (Guapimirim, RJ), área de domínio do Parque Nacional da Serra dos Órgãos (PARNASO). Amostraram-se duas áreas em diferentes altitudes, sendo que a área A localizase entre as cotas de 500 e 600 m e a área B entre as cotas de 400 e 500 m. Utilizou-se o método de parcelas, sendo que cada parcela possuía 100 m² (10 X 10 m), para realizar a amostragem. Em cada área alocou-se 30 parcelas eqüidistantes entre si 20 m, tendo uma área amostrada de 3000 m² (0,3 ha). O critério de inclusão foi CAP (circunferência a altura do peito) ≥ 15,0 cm. Foram amostrados um total de 1007 indivíduos arbóreos (955 indivíduos vivos), divididos em 51 famílias e 177 espécies, nas duas áreas amostradas. Deste total, 572 indivíduos vivos foram amostrados na área A, estando estes divididos em 47 famílias somando 113 espécies, sendo um indivíduo classificado como indeterminado e 383 indivíduos vivos na área B, divididos em 47 famílias somando 137, sendo quatro indivíduos classificados como indeterminados. As famílias de maior riqueza de espécies amostradas na área A foram: Lauraceae (S =13), Fabaceae (S = 11), Myrtaceae (S = 7), Euphorbiaceae (S = 7) e Meliaceae (S = 7), e as famílias de maior riqueza na área B foram: Myrtaceae (S = 16), Lauraceae (S = 13), Rubiaceae (S = 11), Fabaceae (S = 9) e Meliaceae (S = 9). As cinco espécies de maior IVI (Índice de valor de importância) encontradas para a área A foram: Clethra brasiliensis Cham. & Schldl., Vochysia oppugnata (Vell.) Warm., Cupania oblongifolia Mart., Nectandra membranacea (Sw.) Griseb. e Lamanonia ternata Vell., e as cinco espécies de maior IVI para a área B foram: Croton floribundus Spreng., Vochysia oppugnata (Vell.) Warm., Lamanonia ternata Vell., Clethra brasiliensis Cham. & Schldl., Bathysa meridionales L.B. Smith & Downs. O índice de similaridade (Jaccard) entre as duas áreas foi 0,42 (42 %). A curva de distribuição diamétrica das espécies ficou no formato esperado para populações sem grandes perturbações (J invertido). Na área A sete espécies foram representadas na área por apenas um indivíduo e na área B dez espécies foram representadas por um único individuo. Os índices de diversidade de Shannon (H’) foram: 3,78 nats/espécie para a área A e 4,54 nats/espécies para a área B.
URI: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2878
Appears in Collections:TCC - Engenharia Florestal (Seropédica)

Se for cadastrado no RIMA, poderá receber informações por email.
Se ainda não tem uma conta, cadastre-se aqui!

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Raphael.pdf579,88 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.