Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2802
Title: Avaliação das propriedades de colagem de lignosulfonatos e de suas misturas com resinas sintéticas e tanino de Pinus caribaea var. bahamensis
Authors: Schueler, Maria Vanessa Egger
metadata.dc.contributor.advisor: Lelis, Roberto Carlos Costa
metadata.dc.contributor.members: Lelis, Roberto Carlos Costa
Souza, Natália Dias de
Vieira, Michel Cardoso
Keywords: Tanino
Lignosulfonatos
Issue Date: 25-Jun-2014
Abstract: O objetivo geral deste trabalho foi avaliar a viabilidade técnica de utilização de lignosulfonatos e de suas misturas com adesivos sintéticos e taninos de Pinus caribaea var. bahamensis como adesivos para a colagem de madeira. As resinas uréicas e fenólicas são as mais empregadas no setor madeireiro. Porém, desde a crise do petróleo, é crescente o interesse no emprego de taninos como adesivos em chapas de madeira aglomerada e compensados. Nos últimos anos, vários trabalhos foram realizados com novos materiais para substituição dessas resinas sintéticas, destacando-se dentre eles, os trabalhos com taninos vegetais. Outro material alternativo que vem sendo pesquisado são os lignosulfonatos, subprodutos ricos em lignina gerados a partir da polpação da madeira. Dessa forma, os lignosulfonatos são derivados da lignina e são reconhecidos pelas suas propriedades aniônicas, tensoativas, aglomerantes, umectantes, plastificantes, dentre outras. Os lignosulfonatos foram obtidos na LignoTech do Brasil, localizada em Cambará do Sul - RS. As cascas de pinus foram extraídas com água sob adição de sulfito de sódio (Na2SO3) na concentração de 5 % (base peso seco de cascas) em autoclave, por um período de 2 horas, numa relação licor: casca igual a 15:1. Para cada tratamento, foram determinados os valores de pH, viscosidade, teor de sólidos e do tempo de formação de gel para avaliação das propriedades de colagem. O emprego de lignosulfonato puro para colagem não é possível. Entretanto, é possível o seu emprego em misturas com a resina Uréia-Formaldeído (UF) em diferentes proporções (90:10; 80:20; 70:30; 60:40 e 50:50). Para a resina Fenol-Formadeído (FF), somente é possível a substituição por lignosulfonato em até 20%. As misturas de lignosulfonatos com taninos de Pinus caribaea var. bahamensis mostraram-se viáveis em todas as proporções testadas. Contudo, devem ser feitos novos estudos envolvendo a aplicação dessas misturas na produção de materiais de madeira, como aglomerados e compensados.
URI: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2802
Appears in Collections:TCC - Engenharia Florestal (Seropédica)

Se for cadastrado no RIMA, poderá receber informações por email.
Se ainda não tem uma conta, cadastre-se aqui!

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Monografia - Maria Vanessa.pdf585,22 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.