Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2789
Title: Influência do bambu Guadua tagoara (Nees) Kunth sobre a regeneração natural no Parque Nacional da Serra dos Órgãos (RJ)
Authors: Morokawa, Maíra Jardineiro
metadata.dc.contributor.advisor: Nunes-Freitas, André Felippe
metadata.dc.contributor.members: Nunes-Freitas, André Felippe
Pires, Alexandra dos Santos
Antonini, Rafaela Dias
Keywords: Bambu
Crescimento clonal
Distúrbio
Floresta tropical
Issue Date: Nov-2008
Abstract: Guadua tagoara (Nees) Kunth é uma espécie de bambu lenhoso típica das formações de Floresta Atlântica, que ocorre especialmente em áreas que sofreram algum nível de impacto natural ou antrópico, ocupando estas áreas de forma rápida devido às suas características morfofisiológicas. Este estudo trata da influência do bambu G. tagoara sobre a regeneração natural no Parque Nacional da Serra dos Órgãos (RJ). Para avaliarmos o efeito de G. tagoara sobre a regeneração natural foram alocadas 47 parcelas de 1 m2 em áreas ocupadas e não-ocupadas por bambus, e mensuradas todas as plantas de 0,3 a 1,50 m de altura. Como medidas adicionais, avaliamos o grau de abertura do dossel. Comparamos possíveis diferenças na abundância de indivíduos e na riqueza de espécies através de teste T de Student e na abertura do dossel através de teste de Mann-Whitney. Foram registradas 36 famílias, pertencentes à 113 morfoespécies. Nas áreas com o bambu, as famílias mais abundantes foram Rubiaceae (30%) principalmente com as espécies Psychotria nuda e P. stenocalix e Arecaceae representada por uma única espécie: Euterpe edulis (19,1%), e Poaceae (11,2%) com regeneração do próprio bambu G. tagoara. Para as áreas sem bambu, Rubiaceae (22,3%), Arecaceae (16,7%) e Myrtaceae (11,3%) foram as famílias mais abundantes. Lauraceae ocorreu exclusivamente em áreas sem bambu. Não houve diferença entre a abundância de indivíduos em área com e sem bambu, porém houve diferença em relação à diversidade. Áreas com bambu apresentaram menor riqueza de espécies. Não houve diferença na abertura do dossel entre as áreas analisadas. Os dados indicam que a ocupação do ambiente por G. tagoara tem um efeito negativo sobre a riqueza de espécies, possivelmente pelo fato dela facilitar o estabelecimento de espécies pioneiras. No entanto, é possível que também haja um efeito do estágio de desenvolvimento da touceira de G. tagoara na composição de espécies.
URI: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2789
Appears in Collections:TCC - Engenharia Florestal (Seropédica)

Se for cadastrado no RIMA, poderá receber informações por email.
Se ainda não tem uma conta, cadastre-se aqui!

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Monografia_Morokawa.pdf3,85 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.