Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2733
Title: O efeito da cobertura florestal na regularização hídrica de microbacias no município de Miguel Pereira, RJ
Authors: Mattos Junior, Celso de Fraga
metadata.dc.contributor.advisor: Valcarcel, Ricardo
metadata.dc.contributor.members: Valcarcel, Ricardo
Herms, Friedrich Wilhelm
Pereira, Gilberto de Souza
Keywords: Fragmentos florestais
Microbacias
Perenidade
Issue Date: 18-Jul-2008
Abstract: O presente estudo caracteriza 91 microbacias do terço superior do rio Santana, tributário do rio Guandu e seu processo de fragmentação florestal, relacionando as implicações hidrológicas a partir do comportamento do escoamento básico, variável do balanço hídrico que reflete a capacidade de captação, armazenamento das chuvas no verão e liberação dos excedentes no inverno, característica esta que determina a perenidade dos mananciais. As microbacias que apresentam predominantemente regime hídrico efêmero ou intermitente possuem maior percentual de Argissolo, declividade acentuada, primeira e segunda ordem, área média de 30 hectares, orientação Sul, alto percentual de cobertura florestal, localizadas na unidade geomorfológica escarpas serranas. As microbacias apresentam regime hídrico perene, se localizam no domínio geomorfológico montanhoso, predomínio de Cambissolo, declividade menos acentuada, área de captação média de 86 hectares, segunda, terceira e quarta ordem, com cobertura florestal média de 25 %, orientação norte, devido ao maior tempo de permanência e capacidade de armazenamento de água. Na parte alta da bacia do rio Santana, 67 % das áreas com orientação Sul, apresentam cobertura florestal; enquanto que nas áreas com exposição Norte se restringem a 20 %. As áreas com exposição Sul apresentam maior número de fragmentos e maior superfície, que as áreas voltadas para Norte, a desidratação das encostas podem estar relacionadas às direções de entrada dos ventos úmidos. A intensidade de radiação solar também contribui para que os ecossistemas sejam menos resistentes e resilientes. Estes efeitos registrados nas variações das alturas linimétricas entre o período chuvoso e de estiagem evidenciou que há relação entre área da bacia florestal/área, onde quanto maior o percentual de cobertura florestal menor foram diferenças das alturas linimetrica entre os períodos. O percentual mínimo desejável para garantir menor variação foi de 35% de cobertura florestal/microbacia.
URI: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2733
Appears in Collections:TCC - Engenharia Florestal (Seropédica)

Se for cadastrado no RIMA, poderá receber informações por email.
Se ainda não tem uma conta, cadastre-se aqui!

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Celso_Fraga_de_Mattos_Junior.pdf3,16 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.