Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2715
Title: Análise de custo e receita de povoamento de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden submetidos a dois regimes de manejo: estudo de caso em propriedade rural na Zona da Mata Mineira
Authors: Bianquini, Luana Almeida
metadata.dc.contributor.advisor: Leles, Paulo Sérgio dos Santos
metadata.dc.contributor.members: Leles, Paulo Sérgio dos Santos
Silva, José de Arimatéa
Brito, Edvá Oliveira
Keywords: Eucalipto
Fomento florestal
Economia florestal
Reflorestamento de produção
Issue Date: 11-Dec-2007
Abstract: Este estudo procurou realizar análise da rentabilidade de um povoamento de Eucalyptus grandis em pequena propriedade rural localizada na região da Zona da Mata de Minas Gerais com o intuito de elucidar o pequeno e médio produtor a respeito das vantagens da utilização múltipla da madeira produzida. A partir do levantamento de informações foi desenvolvido um sistema de utilização múltipla da madeira plantada, com uma descrição detalhada a respeito dos custos de implantação e manutenção do povoamento ao longo de 10 anos, assim como as receitas geradas a partir deste sistema de manejo integrado. Neste sentido, foi realizada uma comparação entre os custos de implantação com e sem a ajuda do programa de fomento florestal desenvolvido pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF) de Minas Gerais, assim como a comparação de dois sistemas de manejo do povoamento. Para efeito comparativo foi considerado um primeiro sistema de aproveitamento múltiplo da madeira com regime de manejo de desbaste aos 4,5 anos com rebrota da madeira para corte no ciclo final e produção de madeira para serraria, sendo este ciclo completado em 10 anos, e um outro sistema baseado em produção para um único fim com regime de manejo de talhadia, sendo o primeiro corte aos 6 anos com rebrota para corte final aos 12 anos. Em relação ao fomento florestal desenvolvido no Estado de Minas Gerais, pôde ser verificado que os custos de implantação para o pequeno e médio produtor rural foram reduzidos em 30%, onde a cada 3,3 hectares implantados com a atuação do programa, o produtor consegue implantar 1 (um) novo hectare, gerando receitas compatíveis. O sistema mais economicamente rentável foi aquele em que o destino final da madeira atendeu a multiplicidade de produtos (moirão, lenha e madeira para serraria) em contraposição ao regime de produção única (lenha). Este primeiro sistema foi capaz de gerar uma receita líquida de R$ 55.807,65/ha em oposição a R$ 4.385,53 gerados pelo sistema de talhadia. A diferença da receita líquida obtida entre esses dois sistemas foi de R$ 51.422,12/ha, ou seja, a receita líquida é 12,7 vezes menor quando se maneja a floresta de eucalipto para um único fim.
URI: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2715
Appears in Collections:TCC - Engenharia Florestal (Seropédica)

Se for cadastrado no RIMA, poderá receber informações por email.
Se ainda não tem uma conta, cadastre-se aqui!

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Luana Almeida Bianquini.pdf1,34 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.