Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/1596
Title: Estrutura da comunidade vegetal arbórea do Parque Natural Municipal Fazenda Atalaia, Macaé, RJ
Authors: Cruz, Adriano Rosa
metadata.dc.contributor.advisor: Freitas, André Felippe Nunes de
metadata.dc.contributor.members: Freitas, André Felippe Nunes de
Fernadez, Alexandra Pires
Pessoa, Thereza Christina da Rocha
Keywords: Mata Atlântica
Florística
Estrutura da comunidade
Fragmentação
Issue Date: Aug-2007
Abstract: A Floresta Atlântica está reduzida a cerca de 7,5% da sua área original, onde grande parte dos seus remanescentes são fragmentos com diferentes graus de perturbação. Esse distúrbio causa grande impacto ao meio ambiente, resultando em uma elevada perda de espécies da fauna e flora. Portanto, estudos de florística e fitossociologia são importantes para caracterizar a comunidade vegetal e indicar o seu estágio sucessional, e entender o papel exercido pelas espécies e suas populações dentro da comunidade, o que auxilia o estabelecimento de programas de recuperação de áreas degradas. No Norte-Fluminense, a Floresta Atlântica cobria a maior parte da região, estando hoje reduzida a menos de 10% da sua área original. Infelizmente, há poucos estudos da composição arbórea para o Norte do Estado do Rio de Janeiro, sendo necessário um maior esforço e investimento no conhecimento da biodiversidade vegetal desta região, de forma a estabelecer ações para a conservação da biodiversidade da Floresta. Este estudo visou caracterizar a composição florística e a estrutura de um trecho de floresta Ombrófila Densa de baixada do Parque Natural Municipal Fazenda Atalaia em Macaé, RJ. Foram analisadas duas áreas com características estruturais distintas e com históricos de ação antrópica diferentes. Em cada uma das áreas, foram estabelecidas, parcelas de 100 m2 (10 x 10 m), onde todos os indivíduos arbóreos com DAP > 5 cm foram amostrados em um total de 0,6 ha amostrados. Foram amostrados 635 indivíduos de 101 espécies, dentro de 63 gêneros de 36 famílias botânicas. As famílias com os maiores valores de riqueza foram Fabaceae (S = 12), Myrtaceae (S = 9), Euphorbiaceae (S = 8) e Meliaceae (S = 7). Os valores de diversidade de Shannon-Weaver foram: 3,58 nats/ind.para Área 1 e 3,94 pra Área 2. Para Área 1 e , as espécies que ocorreram com as maiores valores de abundância e densidade relativa (DR) foram Artocarpus heterophyllus (15,84 e 9,09) e Guapira opposita (12,87 e 6,49). Em ambas as áreas a espécie com os maiores valores de IVI e IVC foi A. heterophyllus (IVI = 55,96 e IVC = 53,10). A similaridade de espécies entre as duas áreas amostradas no PNMFA foi de 0,34. Os resultados indicam que o valor de diversidade e similaridade nas duas áreas são baixos quando comparados aos de outras áreas do Norte do Estado, sugerindo que o esforço amostral não foi suficiente para demonstrar este padrão. Sugere-se ainda um controle populacional da espécie exótica invasora Artocarpus heterophyllus.
URI: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/1596
Appears in Collections:TCC - Engenharia Florestal (Seropédica)

Se for cadastrado no RIMA, poderá receber informações por email.
Se ainda não tem uma conta, cadastre-se aqui!

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Monografia_Adriano_Rosa_Cruz.pdf516,98 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.