Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/1591
Title: Crescimento inicial de eucalyptus urograndis com diferentes fontes e formas de adubação de plantio, em Além Paraíba - MG
Authors: Ferreira, Marcelo Angelo
metadata.dc.contributor.advisor: Leles, Paulo Sérgio dos Santos
metadata.dc.contributor.members: Leles, Paulo Sérgio dos Santos
Oliveira Neto, Sílvio Nolasco de
Zonta, Everaldo
Keywords: Solos florestais
Nutrição florestal
Eucalipto
Silvicultura
Issue Date: 19-Mar-2007
Abstract: Este trabalho teve como objetivo definir a melhor fonte e forma de aplicação de fósforo, usando formas de adubos normalmente encontradas no mercado, para o crescimento de Eucalyptus urograndis, em solo com deficiência de fósforo, em Além Paraíba, MG. O experimento foi conduzido no terço médio da paisagem em uma pastagem degradada composta basicamente por Brachiária sp. Adotou-se o cultivo mínimo e a análise de solo revelou traço de P em torno de um. Os tratamentos consistiram de diferentes formas de adubo e época de aplicação da dose de 40 g de P2O5 / cova, sendo T1: testemunha; T2: N-P-K (06-30-06) misturado no preparo da cova para o plantio; T3: N-P-K (06-30- 06) aplicado na cova 20 dias após o plantio; T4: 40% como fosfato de Araxá no fundo da cova e 60% de N-P-K (06-30-06) misturado no preparo da cova para o plantio; T5: N-P-K (04-30- 04) + 0,4% Zn misturado no preparo da cova para o plantio, sendo 18% de P2O5 solúvel em água e 12% solúvel em ácido cítrico. Como manutenção, realizou-se coroamento aos 3 e 6 meses após o plantio e adubação de cobertura com 70 g de N-P-K (20-05-20), logo após o 1º coroamento. Foram realizadas avaliações de altura e diâmetro ao nível do solo (DNS) a cada dois meses após o plantio, até os 12 meses, exceto para o DNS que foi medido a partir do quarto mês após o plantio. Para determinação da biomassa dos componentes das plantas escolheram-se três árvores de altura e diâmetros médios, aos 10 meses após o plantio, e determinou-se a porcentagem de macronutrientes presentes nas folhas. Verificou-se que houve tendência de maior crescimento das plantas no tratamento que recebeu a adubação 20 dias após o plantio (T3). Neste tratamento, aos 6 meses após o plantio, as plantas apresentaram valores de altura de altura e diâmetro e peso de raízes grossas, finas e médias significativamente superior aos demais tratamentos, bem como valores da relação biomassa da parte aérea : biomassa do sistema radicular. As plantas dos tratamentos T2, T4 e T5 apresentaram comportamento de crescimento intermediário e similar entre si. Não houve diferenças significativas da concentração de N e K nas folhas das plantas dos diferentes tratamentos de adubação. Para P, as plantas dos tratamentos T2 e T4 apresentaram valores significativamente superiores aos dos demais tratamentos. As plantas do tratamento T1 (testemunha) apresentaram as menores médias de crescimento em todas as avaliações, bem como menor concentração de P nas folhas. Conclui-se, que até a idade de 10 meses após o plantio, tecnicamente, o tratamento que proporcionou o melhor crescimento às plantas foi adubação com N-P-K (06-30-06) aos 20 dias após o plantio das mudas.
URI: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/1591
Appears in Collections:TCC - Engenharia Florestal (Seropédica)

Se for cadastrado no RIMA, poderá receber informações por email.
Se ainda não tem uma conta, cadastre-se aqui!

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Monografia Marcelo Angelo.pdf206,87 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.